FEBRE AMARELA 

  1. Vacina OBRIGATÓRIA, ou seja, alguns países podem exigi-la para o turista (tanto para entrar ou até mesmo para conexão em seus aeroportos).
  2. DISPONIBILIZADA PELO SUS.
  3. Oferece proteção superior a 90% das formas graves da doença, que é transmitida pela picada do mosquito Aedes.
  4. As nações que a exigem buscam proteger sua população local, já que não tem circulação do vírus em seu território, mas possuem o mosquito transmissor.
  5. O turista deve checar antes da viagem se o país a ser visitado exige tal imunizante e, se assim for, ele deve solicitar o CERTIFICADO INTERNACIONAL DE VACINAÇÃO E PROFILAXIA – CIVP; somente o cartão de vacina não será aceito como comprovante . Este certificado pode ser encaminhado pela ANVISA via solicitação em seu site.
  6. Para as pessoas que não podem se vacinar para Febre Amarela (alérgicos, idosos e outros) é possível receber o CERTIFICADO INTERNACIONAL DE ISENÇÃO DA VACINAÇÃO – verifique com o médico de viagens; porém, este certificado não garante a entrada do viajante no país, pois pode não ser aceito pelas autoridades sanitárias locais.
PANAMÁ – vacina de febre amarela é obrigatória

SARAMPO – 

  1.  NÃO é uma vacina obrigatória, mas DE USO SELETIVO. Nenhum país a exige, mas é recomendada de acordo com o tipo de viagem a ser feita.
  2.  Recomendada para viagens à EUROPA, por exemplo,  já que tal continente possui baixa cobertura vacinal para a doença e circulação do vírus.
  3. DISPONIBILIZADA PELO SUS.
  4. O Brasil, em 2018, voltou a ser área de risco para circulação de sarampo, pois perdeu o título de erradicação da doença que tinha desde 2010. Sendo assim, até para viagens em território nacional a imunização é recomendada.
  5. Para crianças pequenas viajantes, caso necessite, a dose pode ser antencipada para 6 meses (dose zero); mas esta dose não conta como dose padrão e o esquema deve ser mantido conforme orientações do Programa Nacional de Imunização.
PARIS – vacina de sarampo é sempre recomendada para viagens pela EUROPA

COVID-19

  1. NÃO é OFICIALMENTE uma vacina obrigatória, mas DE USO SELETIVO. Porém, muitos países a estão exigindo.
  2. Recomendada para qualquer tipo de viagens, já que protege contra as formas graves da COVID-19.
  3. As vacinas COVID utilizadas no Brasil estão sendo aceitas em diversos locais do mundo.
  4. A CORONAVAC já está sendo aceita nos Estados Unidos, Canadá, Inglaterra, Portugal, África do Sul e diversos outros países. Verifique pela internet em órgãos oficiais de cada nação (site do consulado ou site das autoridades de saúde).
  5. O certificado de vacinação COVID deve estar em inglês ou em alguma língua de exigência do país a ser visitado.
  6. Se você já está vacinado contra a COVID, tenha acesso ao seu comprovante de vacinação via o aplicativo CONECT SUS.
EUA – O mundo de DISNEY com imunização COVID é a melhor coisa!

ANTI-TETÂNICA

  1. Vacina extremamente importante, já que o risco de adquirir tétano é grande – até ao pisar num prego na rua pode-se contaminar com o Bacilo Tetânico.
  2. DISPONIBILIZADA PELO SUS.
  3. O turista deve ficar atento pois o reforço da vacina é feito a cada 10 anos.
  4. O cartão de vacina é suficiente para comprovar a imunização do turista conta o tétano.
Fervedouros do JALAPÃO (e qualquer lugar do mundo) são mais seguros com a vacina contra o Tétano.

HEPATITE B

  1. A hepatite B é doença transmitida pela via sexual e também através do sangue, em acidentes pérfuro-cortantes.
  2. O vírus da hepatite B pode permanecer viável no ambiente POR ATÉ 7-10 DIAS.
  3. A vacina é DISPONIBILIZADA PELO SUS.
  4. A vacina protege até contra câncer, já que o vírus da Hepatite B pode levar a câncer de fígado.
  5. Em certos casos, para viajantes de última hora, pode-se fazer o esquema ACELERADO – a segunda dose da vacina é feita 7 dias a pós a primeira e a terceira é feita 21 dias após. VERIFIQUE COM O MÉDICO DE VIAGENS.
TURQUIA – imunização contra a hepatite B em dia!

GRIPE

  1. A gripe é doença de transmissão respiratória e pode levar a formas graves, com insuficiência respiratória, assim como a COVID-19.
  2. a vacina é disponibilizada pelo SUS para grupos prioritários: crianças pequenas, idosos, gestantes, profissionais de saúde, pessoas de grupo de risco (hipertensos graves, diabéticos, pneumopatas, cardiopatas, imussuprimidos e outros).
  3. Indicada p/ passeios sobretudo durante outono e inverno, em virtude da maior circulação do vírus.
  4. Viagens prolongadas de avião, tour em cruzeiros (costuma ocorrer em viajantes de cruzeiros no verão do Alaska e noroeste do Canadá), e em outras atividades que envolvam aglomerações, também há indicação.
  5. Atentar para as cepas virais circulantes, uma vez que há diferenças da mesma no hemisfério Norte e Sul. O ideal é utilizar a vacina de acordo com as orientações da OMS para as regiões definidas; muitas vezes é necessário chegar no destino para se conseguir isto.
CANADÁ – gelo e proteção contra a gripe.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *